ContratosHabilitaçãoQuestões sobre Licitações

Alteração de CNPJ da empresa Controladora X Assinatura do Contrato na Licitação

É, juridicamente possível, o termo aditivo ao contrato cuja CONTRATADA, ao longo da execução contratual, promoveu cisão parcial, transferindo o negócio afeto ao objeto contratual para a nova filial denominada no contrato social como CONTROLADA? A Contratada registrou ata de registro de preços em 2015(não mais vigentes neste momento) e celebrou contratos de prestação de serviços contínuos com vários órgãos do estado mas, por força de lei federal em vigor desde 2009, a mesma precisou adequar o plano de recolhimento de encargos tributários do segmento de negócios objeto pertinente aos contratos, tendo ainda que se enquadrar em ramo especifico (era empresa de TIC e passou a ser empresa de infraestrutura de TIC, com tributação e encargos sociais diferentes) e agora, comunica ao Órgão sobre alteração de contrato, informando que não poderá continuar a faturar os serviços do objeto contratual pelo CNPJ da CONTROLADORA (antigo, o da contratada) mas sim, pelo CNPJ da CONTROLADA. Já estou pesquisando jurisprudência a respeito mas preciso de celeridade para evitar irregularidade na execução do objeto. Grato a quem puder me auxiliar.

A informação da cisão e alteração do CNPJ revelam que a empresa CONTROLADA, apesar de pertencer ao grupo econômico da CONTROLADORA, se trata de outra pessoa jurídica distinta daquela que venceu o certame e assinou o contrato.

A Lei 8666/93, artigo 78, VI e XI, estabelecem os motivos que ensejariam a rescisão do contrato.

“Art. 78. Constituem motivo para rescisão do contrato: (…)

VI – a subcontratação total ou parcial do seu objeto, a associação do contratado com outrem, a cessão ou transferência, total ou parcial, bem como a fusão, cisão ou incorporação, não admitidas no edital e no contrato;(…)

XI – a alteração social ou a modificação da finalidade ou da estrutura da empresa, que prejudique a execução do contrato;”. (g.n.)

No caso, entendo que a regra seria a rescisão imediata do contrato, uma vez que a cisão (com a transformação da contratada em uma nova pessoa jurídica, conforme relatado) constitui motivo de resolução do contrato.

A exceção, seria a manutenção do contrato com esta empresa CONTROLADA. Manter este contrato dependeria de uma série de justificativas baseadas nos princípios do interesse público, economicidade, razoabilidade, pois a modificação da personalidade jurídica já seria suficiente para romper a relação contratual; ademais a modificação da estrutura, capacidade técnica etc., podem prejudicar a execução do contrato.

Publicado em 16 de maio de 2016
(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta

Related posts
EditalLegislaçãoQuestões sobre Licitações

Subcontratação total ou parcial nos editais

AZEVEDOMOTA Em alguns editais eles já informam na Minuta Contratual que não permitem…
Read more
Modalidades de LicitaçãoQuestões sobre Licitações

É permitido colocar modelo de componentes internos de um equipamento?

Câmara municipal de Maringá É permitido colocar modelo de componentes internos de um equipamento…
Read more
EditalQuestões sobre Licitações

Fórmula PC + ELP do Índice de Endividamento

Prefeitura Municipal de João Monlevade  Nos Editais está sendo medido o Índice de Endividamento…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *