Notícias

Suspensa licitação de Diamante do Oeste para compra de rolo compactador de solo

Exigência que especificou o objeto licitado e poderia limitar a participação de interessados levou o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) a emitir medida cautelar que suspende licitação do Município de Diamante do Oeste para a compra de rolo compactador vibratório de solo, no valor total estimado de R$ 365.000,00.

A cautelar foi concedida pelo conselheiro Ivens Linhares em 15 de julho e homologada na sessão do Tribunal Pleno desta quarta-feira (17). O TCE-PR acatou Representação da Lei nº 8.666/93 (Lei de Licitações e Contratos) formulada pela empresa Yamadiesel Comércio de Máquinas em face do Pregão Presencial nº 64/2019 da Prefeitura de Diamante do Oeste.

A representante alegou que o edital do pregão especificou irregularmente o objeto licitado ao exigir que o rolo compactador tivesse diâmetro mínimo do tambor de 1.530 milímetros, o que direciona o certame a uma única marca, sem justificativa técnica ou fundamento jurídico.

O conselheiro do TCE-PR ressaltou que o município justificou a especificação com base na discricionariedade administrativa, em razão da sua necessidade concreta, sem explicitar qual seria essa necessidade e como ela somente poderia ser plenamente atendida pela aquisição de um rolo compactador com tambor de, no mínimo, 1.530 mm de diâmetro.

Linhares lembrou que, de acordo com o parágrafo 5º do artigo 7º da Lei nº 8.666/93, a fixação de especificação de objeto potencialmente restritiva deve ser acompanhada de justificativa técnica. Ele acrescentou que o Tribunal de Contas da União (TCU) já se posicionou no sentido de que cláusulas com potencial de restringir o caráter competitivo do certame devem ser objeto de adequada fundamentação, baseada em estudos prévios à licitação que indiquem a obrigatoriedade de inclusão de tais regras para atender às necessidades específicas do órgão, sejam de ordem técnica ou econômica.

Além disso, o relator do processo destacou que o município também não comprovou a realização de pesquisa de mercado que tenha demonstrado a existência de uma pluralidade de marcas ou de fornecedores de produtos similares capazes de atender à referida especificação mínima, dentro do preço máximo estabelecido no edital.

Linhares frisou que o TCU também já fixou o entendimento de que a administração, no planejamento de suas aquisições de equipamentos, deve identificar um conjunto representativo dos diversos modelos existentes no mercado que atendam completamente suas necessidades antes de elaborar as especificações técnicas e a cotação de preços.

O Tribunal determinou a intimação do Município de Diamante do Oeste para que, em até 15 dias, comprove o imediato cumprimento da decisão e apresente justificativas em relação às irregularidades apontadas, além de cópias do processo licitatório. A advogada que emitiu parecer jurídico em relação ao processo licitatório, Deisiane Cristina Vargas, também foi citada para apresentar defesa nesse mesmo prazo.

(Fonte: O Presente)

Related posts
Notícias

PCDF investiga empresários que usaram robô para fraudar licitação

Suspeitos criaram softwares proibidos para dar lances automáticos em pregões eletrônicos…
Read more
Notícias

Aberta licitação para construir sede do MP em Nova Mutum; investimento de R$ 4,2 milhões

A prefeitura de Nova Mutum divulgou no Diário Oficial do Estado que as empresas interessadas em…
Read more
Notícias

Governo revê licitação de R$ 147 milhões

O governo do Estado suspendeu licitação para contratação de uma empresa para gerenciar a…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *