EditalQuestões sobre Licitações

Erro no edital – rescisão ou anulação do contrato

Participei de uma licitação modalidade Pregão presencial. Apresentei todos os documentos exigidos e segui à risca o que constava no edital. Meu preço foi vencedor. Assinamos o contrato e prestei o serviço por 1 mês. Quando fiz a nota fiscal, disseram que eu estava descumprindo o contrato, pois constava um valor não contratado. Fechamos o contrato em cm2 e querem me pagar em cm linear. Isso dá uma diferença gritante. Minha proposta vencedora, apresentou o valor do cm2 por coluna e assim foi apresentada a proposta e assinado o contrato. Eles querem suspender o contrato, alegando não ser interessante para o órgão público, apesar de declararem ter havido erro no edital e na contratação. O que devo fazer?”

Embora a licitação tenha ocorrido de forma regular, a proposta tenha sido aceita, e o contrato, celebrado, a existência de algum elemento que torne a execução do objeto prejudicial ao interesse público, obriga a Administração (conforme poder-dever de autotutela) a rever seus próprios atos. Uma vez reexaminados e verificado que estão contrários ao interesse público, o administrador responsável deverá providenciar as medidas corretivas

Se, de fato, a Administração reconhece o erro do edital (seria necessário avaliar a dimensão deste erro) e, por consequência, do contrato, é lícito o ato que decide pela “anulação da licitação” e consequentemente, do contrato; ou ainda, pela “rescisão unilateral” com fundamento no art. 78, XIII, da Lei 8.666/93, uma vez que o contrato, da forma que foi celebrado, é prejudicial ao interesse público:

“Art. 78. Constituem motivo para rescisão do contrato: (…)
XII – razões de interesse público, de alta relevância e amplo conhecimento, justificadas e determinadas pela máxima autoridade da esfera administrativa a que está subordinado o contratante e exaradas no processo administrativo a que se refere o contrato;”

Inobstante a forma utilizada pela Administração para romper a relação contratual (anulação ou rescisão), entendo que os efeitos financeiros do contrato devem subsistir. Assim, embora a Administração decida pela rescisão (ou pela anulação), todo e qualquer serviço executado por sua empresa deverá ser pago, uma vez que executado de boa-fé e, ainda, realizado na vigência do contrato, conforme art. 79, § 2º, da Lei 8.666/93:

“§ 2o Quando a rescisão ocorrer com base nos incisos XII a XVII do artigo anterior, sem que haja culpa do contratado, será este ressarcido dos prejuízos regularmente comprovados que houver sofrido, tendo ainda direito a:
I – devolução de garantia;
II – pagamentos devidos pela execução do contrato até a data da rescisão;
III – pagamento do custo da desmobilização”.

Publicado em 27 de outubro de 2020.

(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta.

Related posts
Questões sobre Licitações

Dificuldade na primeira emissão da CRF/FGTS

Somos uma empresa recém constituída (06.12.2019). Participamos de um Pregão Eletrônico…
Read more
ContratosQuestões sobre Licitações

Exclusividade dos contratos administrativos

Na minha cidade tem uma empresa que tem um contrato na prefeitura de uma marca que eles…
Read more
Outras QuestõesQuestões sobre Licitações

Substituição do Pregoeiro durante a licitação

No decorrer de um processo de pregão presencial, em fase de análise e julgamento de recursos, é…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *