EditalQuestões sobre Licitações

É lícito ao contratante prorrogar prazos indefinidamente mesmo com prazos definidos em edital?

– Concorrente venceu licitação, e foi convocado para assinatura do contrato no período de 15 dias.
Edital previa assinatura em 15 dias, podendo ser solicitado prorrogação por mais 15 dias.
– Concorrente pediu prazo adicional, e foi concedido.
Passados 30 dias, o vencedor da licitação ainda não tem alvará e licença sanitária, e por isso pediu SUSPENSÃO do prazo para assinatura de contrato.
Passados 60 dias, a prefeitura ainda não se manifestou se concederá prazo adicional ou cancelará a licitação. É lícito ao contratante prorrogar prazos indefinidamente, mesmo indo contra os prazos definidos em edital?”

Os prazos concedidos no edital são fixos e só podem ser alterados na eventualidade de força maior ou caso fortuito.

A análise fria da lei e do edital sugere que os prazos inicialmente estabelecidos no edital não podem ser alterados, sob pena de vulnerar o princípio da isonomia e do interesse público. Isso se deve ao fato de que se algum outro licitante soubesse que os prazos seriam dilatados, talvez ele poderia oferecer uma proposta mais vantajosa, só não vindo a fazê-lo porque seguiu rigorosamente os prazos previstos no edital.

A pandemia de COVID-19 é considerada um fato imprevisível – caracterizador de força maior ou caso fortuito – que motivaria a incidência da Teoria da Imprevisão. Tanto que a pandemia motivou a edição do Decreto Legislativo nº 06/2020, pelo Congresso Nacional, que reconheceu o Estado de Calamidade em todo o Brasil, até 31 de dezembro de 2020.

No entanto, se a abertura da licitação se deu durante a pandemia, o licitante não poderia alegar imprevisibilidade, uma vez que, por pressuposto, já se tinha o conhecimento das condições adversas; e qualquer licitante responsável deve avaliar todas as condições de participação e de execução do contrato antes de apresentar sua proposta.

Portanto, se o prazo para apresentação dos documentos e propostas se deu em época em que já se conhecia os efeitos causados pela pandemia, dificilmente haverá razão que sustente a imprevisibilidade das condições de execução do contrato.

Sendo assim, entendo que a Administração não pode, de forma injustificada, prorrogar prazos de obtenção de documentos, imprescindíveis ao início da prestação dos serviços, sob pena de violar o princípio da isonomia, segurança jurídica e interesse público.

Publicado em 28 de setembro de 2020.

(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta.

Related posts
Questões sobre Licitações

Dificuldade na primeira emissão da CRF/FGTS

Somos uma empresa recém constituída (06.12.2019). Participamos de um Pregão Eletrônico…
Read more
ContratosQuestões sobre Licitações

Exclusividade dos contratos administrativos

Na minha cidade tem uma empresa que tem um contrato na prefeitura de uma marca que eles…
Read more
Outras QuestõesQuestões sobre Licitações

Substituição do Pregoeiro durante a licitação

No decorrer de um processo de pregão presencial, em fase de análise e julgamento de recursos, é…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *