Notícias

Prefeitura do Rio assume operação da Linha Amarela

A prefeitura do Rio de Janeiro iniciou neste domingo, 21, o processo de transferência da operação da Linha Amarela, via expressa com 25 quilômetros de extensão que liga Jacarepaguá, na zona oeste, à Ilha do Fundão, na zona norte do Rio. Até o ano passado, a via era administrada pela Linha Amarela S/A (Lamsa), concessionária que cobrava pedágio de R$ 7,50 por veículo, nos dois sentidos.

Mas a prefeitura, sob a gestão de Marcelo Crivella (Republicanos), rompeu o contrato de concessão, e o pedágio deixou de ser cobrado. Embora o rompimento tenha sido autorizado pela Justiça em setembro de 2020, até janeiro deste ano a prefeitura não havia tomado nenhuma providência para assumir a administração da Linha Amarela – apenas eliminou o pedágio.

Por isso, em janeiro a Justiça deu prazo de um mês – que termina em 27 de fevereiro – para que a prefeitura passasse a administrar efetivamente a via, sob pena de a Lamsa poder voltar e retomar a cobrança de pedágio. O prefeito Eduardo Paes (DEM) tentou negociar com a Lamsa um preço mais baixo do que era cobrado pelo pedágio – em torno de R$ 3, segundo Paes -, mas não houve acordo e a prefeitura decidiu então fazer uma nova licitação para escolher outra empresa interessada em administrar a via. Até que essa licitação seja concluída, a prefeitura vai tomar conta da via e não haverá cobrança de pedágio.

Segundo a prefeitura, parte das operações já passou integralmente para os órgãos púbicos. A partir deste domingo, a Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio (CET-Rio) tornou-se responsável por qualquer resgate mecânico em caso de pane em veículos na via, a secretaria municipal de Conservação passou a ser responsável pelo serviço de tapa buraco e o Corpo de Bombeiros fará o atendimento de vítimas em caso de acidente.

A transição será concluída até 27 de fevereiro, prazo determinado pela Justiça para que o município encampasse a via de forma plena. “Hoje, por determinação do prefeito Eduardo Paes, e cumprindo uma decisão judicial, começamos a transição para a operação da via. Um dos passos dessa transição é o inventário desse patrimônio, ou seja, tudo o que vai ser transferido para a prefeitura do Rio. O nosso objetivo é que esta transferência aconteça da maneira mais harmoniosa possível, garantindo a operação da Linha Amarela, e, principalmente a segurança dos usuários”, afirmou o secretário municipal de Governo e Integridade Pública, Marcelo Calero.

“O prefeito deixou muito claro que quer seja cobrado um preço justo pelo pedágio da Linha Amarela. Portanto, haverá o encaminhamento de uma nova licitação. Mas, até a conclusão da licitação, a operação da via fica a cargo da prefeitura do Rio”, concluiu o secretário.
Fonte: CGN
Related posts
Notícias

Cohavel abre licitação para fornecimento de alimentação

Está aberto o pregão para contratação de empresa especializada no fornecimento de marmitas e…
Read more
Notícias

Toledo abre licitação para execução de pavimentação no distrito de Vila Ipiranga; Valor poderá ser de R$ 283.670,37

A Prefeitura Municipal de Toledo emitiu um aviso de abertura de licitação, que desta vez visa a…
Read more
Notícias

Duas empresas registram preços em licitação da Cohavel que visa compra de materiais elétricos

A Cohavel publicou em Diário Oficial a ata do registro de preços referentes ao pregão eletrônico…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *