Notícias

Consórcio entrega proposta para terminar obra

Infraero irá estudar proposta para continuidade das obras de reformas do aeroporto Pinto Martins paradas desde maio quando o consórcio vencedor desistiu

Infraero irá estudar proposta para continuidade das obras de reformas do aeroporto Pinto Martins paradas desde maio quando o consórcio vencedor desistiu da construção

 

Depois de dois adiamentos o consórcio Encalso-Kallas, segundo colocado na licitação da obra de reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, protocolou uma proposta para concluir a obra, parada desde o último mÊs de maio.

 

A informação foi dada ontem pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), que não revelou detalhes do que as empresas pedem para continuar o serviço. A estatal disse que vai analisar as condições para chegar a um acordo.

 

A resposta foi protocolada após dois pedidos de adiamentos. Inicialmente o Encalso-Kallas foi chamado a se manifestar sobre a continuidade ou não das obras no dia 21 de agosto. Nesta data o consórcio pediu até o dia 3 de setembro e depois até o dia 8.

 

A Infraero disse que as prorrogações fazem parte do processo de negociação, previsto na Lei de Licitação. O POVO procurou as empresas para falar sobre o assunto mas não obteve retorno.

 

Preocupado com a demora o procurador da República no Ceará, Alessander Sales, enviou ofício à Infraero, na última quarta-feira, requisitando informações acerca dos motivos da demora. Na ocasião ele disse que havia dado prazo de 72 horas para resposta e ontem informou que ainda estava aguardando.

 

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) recomendou, em duas ocasiões, a rescisão do contrato com o consórcio CPM Novo Fortaleza, que ganhou o processo licitatório e só executou 15,62%. Por conta disso, a Infraero teve que contratar a construção, por R$ 1,79 milhão, do terminal remoto temporário, conhecido como “puxadinho”, para atender às demandas de voos durante a Copa 2014.

 

A recomendação de rescisão do primeiro contrato teve por base relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que constatou a existência de atrasos injustificados na execução da obra do Terminal de Passageiros 2 do Pinto Martins. A licitação para as obras de reforma e ampliação do aeroporto de Fortaleza contou com a participação de 11 empresas.

 

Atualização

 

O processo, feito por meio do Regime Diferenciado de Contratações (RDC), foi concluído em fevereiro de 2012 e o consórcio CPM Novo Fortaleza, foi declarado vencedor com a proposta de R$ 336,6 milhões. Até a rescisão contratual foi pago o valor de R$ 52,6 milhões. O valor total da proposta apresentada pelo consórcio Encalso-Kallas na época foi de R$ 346 milhões.

 

A Infraero já informou ao MPF-CE que se a Encalso-Kallas aceitar a obra, o valor a ser contratado se refere ao remanescente da obra. E em caso de aceite, os preços serão atualizados conforme sua data base.

 

A estatal também já informou que se o segundo lugar não assinar o contrato vai estudar se chama as outras empresas que participaram do processo ou se faz nova licitação.

 

(Fonte: O Povo)

Related posts
Notícias

Favorito para assumir presidência da Alesp é alvo de ações por improbidade

Considerado favorito entre os colegas para assumir a presidência da Assembleia Legislativa de São…
Read more
Notícias

Projeto altera lei de licitações e obriga prova de adoção de práticas inclusivas

Empresas que participam de processos licitatórios poderão ter que cumprir novas medidas para…
Read more
Notícias

Nova lei moderniza as licitações públicas

Legislação aprovada no final do ano passado deverá substituir a que está em vigência desde a…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *