ContratosQuestões sobre Licitações

Rescisão de contrato X Ressarcimento

A Infraero reduziu o escopo do contrato e, posteriormente, reincidiu tal contrato de reforma do terminal de passageiros do aeroporto com a Construtora X.

Pergunto: Devemos fazer o ressarcimento dos materiais adquiridos pela Contratada antes da rescisão contratual?

Dentro do rigor jurídico, entendo que antes de ocorrer a rescisão, deverá ser feito um levantamento de serviços e materiais executados, para um termo de quitação. Se houver o pagamento das medições, e o termo de quitação for assinado, problema resolvido.

No entanto, é possível que a empresa requeira o ressarcimento de materiais e serviços, sobretudo materiais, que haviam sido adquiridos dentro do planejamento e programação dos serviços e do cronograma físico-financeiro.

Nos termos do artigo 79, § 2o , da Lei 8.666/93:

“§ 2o Quando a rescisão ocorrer com base nos incisos XII a XVII do artigo anterior, sem que haja culpa do contratado, será este ressarcido dos prejuízos regularmente comprovados que houver sofrido, tendo ainda direito a:

I – devolução de garantia;

II – pagamentos devidos pela execução do contrato até a data da rescisão;

III – pagamento do custo da desmobilização”. (g.n.)

Para o ressarcimento, a empresa deverá apresentar a prova da aquisição dos materiais para uso na obra. Se o contratado houver adquirido os materiais e posto no local dos trabalhos a pedido da Administração ou para atender ao cronograma físico-financeiro, estes deverão ser ressarcidos.

Caso não seja feito tal ressarcimento, A construtora pode entrar com uma ação contra a Infraero?

Sim, e se a empresa tiver material probatório robusto, poderá cobrar não só o material empregado na obra como também outros valores, conforme jurisprudência do STJ:

“ADMINISTRATIVO. RECURSO ESPECIAL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. RESCISÃO UNILATERAL DE CONTRATO ADMINISTRATIVO. INOBSERVÂNCIA AOS PRINCÍPIOS DO CONTRADITÓRIO E DA AMPLA DEFESA. ALEGAÇÃO DE DESCUMPRIMENTO DO CONTRATO. ANÁLISE DE MATÉRIA FÁTICA. IMPOSSIBILIDADE. SÚMULA 7/STJ.

1. Acórdão recorrido fundado em ofensa aos princípios do contraditório e da ampla defesa, exsurgindo daí o dever de indenizar em razão da rescisão unilateral do contrato.

2. Impossibilidade de averiguar se tais princípios foram ou não observados pela Administração, por depender do reexame do contexto fático-probatório dos autos. Súmula 7/STJ.

3. A jurisprudência desta Corte é pacífica quanto ao dever de indenização pelos prejuízos causados na hipótese de rescisão unilateral de contrato administrativo, aí compreendidos os danos emergentes e os lucros cessantes, quando a parte contratada não dá causa ao distrato.

4. Alegado descumprimento do contrato por parte da empresa contratada afastado pela Corte Estadual a partir do exame de matéria eminentemente fática.

5. Recurso especial não conhecido.” (g.n.)

(REsp 928.400/SE, Rel. Ministra ELIANA CALMON, SEGUNDA TURMA, julgado em 15/08/2013, DJe 22/08/2013)

Publicado em 13 de março de 2018

(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta

Related posts
ContratosQuestões sobre Licitações

Renovação de contrato de locação – pesquisa

Considerando a renovação de um contrato referente à locação de imóvel, onde este apresenta a…
Read more
HabilitaçãoQuestões sobre Licitações

Dispensa de licitação – dispensa de documentos de habilitação

Na dispensa em razão do valor, é possível dispensar a documentação de que tratam os artigos 29…
Read more
HabilitaçãoQuestões sobre Licitações

Desclassificação por erro na planilha

Fui inabilitado em uma licitação por não apresentar composição de custos de transportes. Tendo…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *