Outras QuestõesQuestões sobre Licitações

Fiscal contratado

Sobre o fiscal de contrato, É OBRIGATÓRIO QUE SEJA UM SERVIDOR EFETIVO? OU PODE SER UM SERVIDOR CONTRATADO?

Preliminarmente, é importante ressaltar que o fiscal do contrato deverá possuir aptidão técnica relativa ao objeto que será por ele fiscalizado, ou seja, o fiscal deverá dominar a área de conhecimento do objeto contratado. O fiscal do contrato de instalação de sistema de ar condicionado deverá ser um engenheiro mecânico; o fiscal de uma obra deverá ser um engenheiro na modalidade (civil, eletrônica etc.) relativa ao tipo de construção; o fiscal de um contrato de merenda deverá ser um nutricionista; para contratos que não exijam atividade de profissão regulamentada, o fiscal deverá ter conhecimento das características e rotina daquele serviço (p.ex.: limpeza predial, conservação de áreas externas, locação de veículos etc.).

A falta de capacitação do agente público para a realização de tarefa específica a ele atribuída não impede sua responsabilização por eventual prejuízo causado ao erário. Ciente de sua falta de capacidade para o exercício da tarefa, deve o agente reportar a situação aos seus superiores para se liberar da atividade, uma vez que, ao executá-la, assume os riscos inerentes aos resultados produzidos. (Acórdão TCU nº 2449/2018 Plenário)

Obviamente, a Administração pode não possuir em seu quadro de funcionários (efetivos ou em comissão) este profissional especializado e que domine tecnicamente o objeto contratado. Nestes casos, a Administração contratante poderá estabelecer convênio ou parceria com algum outro órgão público que possua o profissional requisitado; ou ainda, quando comprovadamente a Administração não dispor de servidores com competência (técnica) para fiscalizar o objeto, é possível contratar (mediante processo de licitação ou de dispensa de licitação, conforme o caso) empresa privada ou profissional autônomo para desempenhar a atividade de fiscalização.

Por fim, o fiscal do contrato deverá ter ainda boas noções acerca das normas que regem os contratos administrativos (Lei 8.666/93):

“O fiscal do contrato tem o dever de conhecer os limites e as regras para alterações contratuais definidos na Lei de Licitações, e, por conseguinte, a obrigação de notificar seus superiores sobre a necessidade de realizar o devido aditivo contratual, evitando a atestação da execução de itens não previstos no ajuste, sob pena de ser-lhe aplicada a multa do art. 58, inciso II, da Lei 8.443/92”. (Acórdão TCU nº 43/2015-Plenário)

Publicado em 07 de março de 2019

(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta

Related posts
ContratosQuestões sobre Licitações

Renovação de contrato de locação – pesquisa

Considerando a renovação de um contrato referente à locação de imóvel, onde este apresenta a…
Read more
HabilitaçãoQuestões sobre Licitações

Dispensa de licitação – dispensa de documentos de habilitação

Na dispensa em razão do valor, é possível dispensar a documentação de que tratam os artigos 29…
Read more
HabilitaçãoQuestões sobre Licitações

Desclassificação por erro na planilha

Fui inabilitado em uma licitação por não apresentar composição de custos de transportes. Tendo…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *