Modalidades de LicitaçãoQuestões sobre Licitações

Classificação Provisória no Pregão

No pregão após classificação provisória de, no mínimo, 3 empresas para etapa de lances, em que todas declinaram de ofertá-los, em seguida da verificação da documentação de habilitação, em sendo inabilitada a empresa vencedora, bem como as outras empresas classificadas provisoriamente, deve-se seguir analisando a habilitação da empresa classificada em 4º lugar e assim sucessivamente, ou volta a uma classificação provisória e nova etapa de lances entre a  4º, 5º e 6º colocadas?

A pergunta é pertinente ao tema e desperta grande polêmica. Veremos o que reza o artigo 4º da Lei 10.520/02:

“VIII – no curso da sessão, o autor da oferta de valor mais baixo e os das ofertas com preços até 10% (dez por cento) superiores àquela poderão fazer novos lances verbais e sucessivos, até a proclamação do vencedor;”.

Depreende-se da redação do dispositivo, que as empresas que ofertarem propostas situadas no intervalo adstrito entre o “menor preço” e “10% superiores a ele”, serão alçadas à fase de lance, oportunidade esta em que será possível o oferecimento de lances verbais e sucessivos.

Portanto, os licitantes aptos à fase de lances “poderão” ou “não” apresentar redução de preços em relação à proposta originalmente oferecida.

Na seqüência, examinemos o inciso XI do mesmo artigo:

“XI – examinada a proposta classificada em primeiro lugar, quanto ao objeto e valor, caberá ao pregoeiro decidir motivadamente a respeito da sua aceitabilidade;”.

Após a fase de lances, independentemente de terem os licitantes ofertado ou não novos lances, o pregoeiro decidirá sobre a proposta da empresa melhor classificada até então, exercendo o juízo de aceitabilidade sobre o aspecto econômico da proposta.

“XII – encerrada a etapa competitiva e ordenadas as ofertas, o pregoeiro procederá à abertura do invólucro contendo os documentos de habilitação do licitante que apresentou a melhor proposta, para verificação do atendimento das condições fixadas no edital;”.

O pregoeiro procederá a abertura do envelope nº 02 – habilitação – apenas do licitante melhor classificado. Contudo, caso alguma proposta ou documentação não seja aceita, serão convocadas as ofertas subseqüentes na ordem de classificação, conforme dispõe o inciso XVI:

“XVI – se a oferta não for aceitável ou se o licitante desatender às exigências habilitatórias, o pregoeiro examinará as ofertas subseqüentes e a qualificação dos licitantes, na ordem de classificação, e assim sucessivamente, até a apuração de uma que atenda ao edital, sendo o respectivo licitante declarado vencedor;”.

Ante os dispositivos legais, conclui-se que, havendo ou não lances (pois o dispositivo legal não obriga o licitante a ofertá-lo), a ordem de classificação será utilizada para a convocação dos remanescentes. Assim sendo, vejamos o exemplo:

FASE DE ABERTURA DAS PROPOSTAS

Empresa A (R$100,00) | Empresa B (R$103,00) | Empresa C (R$107,00) | Empresa D (R$113,00) | Empresa E (R$117,00) | Empresa F (R$120,00)

CLASSIFICAÇÃO DAS PROPOSTAS

Empresa A (1a lugar) | Empresa B (2a lugar) | Empresa C (3a lugar) | Empresa D (4a lugar) | Empresa E (5a lugar) | Empresa F (6a lugar)

FASE DE LANCES

Regra dos 10% – nesse caso, somente as 3 primeiras (Empresas A, B, C) classificadas poderão oferecer novos lances.

A 4ª, 5ª e 6ª (Empresas D, E, F) colocadas, continuam classificadas, mas não participam da etapa de lances.

Se, eventualmente, não houver oferecimento de lances e todas as empresas 1ª, 2ª e 3ª classificadas forem inabilitadas, portanto, excluídas da disputa, o pregoeiro, em face da leitura literal do dispositivo legal, poderia convocar a 4ª colocada para avaliar a proposta e, sendo aceita, promover a análise de sua habilitação, e assim por diante, até declarar um licitante vencedor. Dessa forma, mesmo a 4ª colocada não oferecendo qualquer lance, seria convocada pelo pregoeiro, tendo a possibilidade de sagrar-se vencedora do certame. Seria, portanto, a “herdeira” natural da disputa mesmo não tendo  participado dela; e sem que a 5ª ou 6ª colocadas possam intervir nessa “sucessão”.

Em que pese a interpretação literal do dispositivo legal que conduziria ao procedimento anteriormente descrito, podemos sugerir a interpretação lógica que busca o melhor sentido da norma ou o objetivo pretendido pelo legislador.

Considerando que a fase de lances é uma etapa de disputa, sobretudo em relação aos novos valores ofertados pelos licitantes, concluímos que a ausência dela pode caracterizar quebra da competitividade e inexistência de concorrência, resultados estes não almejados pela legislação de licitações.

Dessa forma, buscando o sentido que melhor atenda ao interesse público, a inexistência da fase de lances entre os três primeiros classificados (1ª, 2ª e 3ª classificadas), autorizaria o pregoeiro a inaugurar (uma vez que até então não havia acontecido) a etapa de lances entre os remanescentes (4ª, 5ª e 6ª classificadas). Portanto, entendo que a inexistência da fase de lances entre os previamente classificados, autoriza o pregoeiro a instaurar (estrear, naquele processo) a fase entre os demais classificados. Repito: a instauração da fase de lances entre os demais classificados (4ª, 5ª e 6ª) só pode ocorrer, se ainda não houve disputa por lances entre os primeiros classificados (1ª, 2ª e 3ª). Tal procedimento mostra-se benéfico ao interesse público, posto que, se utilizado o procedimento convencional, fruto da interpretação literal da lei, a convocação da 4ª classificada, poderia não ser o procedimento mais vantajoso, uma vez que a 5ª ou 6ª classificadas, em tese, poderiam ofertar preço ainda melhor, se submetidas a uma etapa de lances.

(Colaborou Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações públicas e contratos administrativos).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta.

Related posts
EditalQuestões sobre Licitações

Empresa Recém criada – Sem atestado

No edital pedi atestado de capacidade técnica, como um dos requisitos para habilitação, no…
Read more
Questões sobre LicitaçõesRegistro de Preço

Revisão de Preços Registrados

Os valores registrados em ata de registro de preços podem sofrer alteração?  Na prática é…
Read more
Dispensa e InexigibilidadeQuestões sobre Licitações

Limite da Dispensa de Licitação

Quantos COTEP posso fazer por ano? O que preciso observar na hora de fazer o COTEP, posso fazer…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *