Outras QuestõesQuestões sobre Licitações

Acúmulo de funções de pregoeiro e autoridade competente

1) O pregoeiro e/ou chefe da Comissão de Licitação, bem como algum membro da equipe de apoio e/ou da Comissão de Licitação, podem ser substituídos no transcurso de determinada Licitação?

Sim. Desde que a substituição seja motivada e, ainda, respeitada a mesma formalidade do ato de designação (Portaria, Resolução etc.), é possível a substituição de membro de comissão de licitação, pregoeiro ou equipe de apoio.

2) O agente responsável pelo procedimento licitatório (chefe da comissão de licitação e/ou pregoeiro) podem acumular essa função com a de chefe do setor de finanças do órgão onde é realizada a licitação?

Sim, mas com ressalvas.

Entendo que é possível este acúmulo de função (pregoeiro) + função/cargo (chefe do setor de finanças) desde que as duas funções não sejam conflitantes ou desde que não exerçam atribuições de julgamento no mesmo processo. Por exemplo, o chefe do setor de finanças não poderá ser a “autoridade competente” (no pregão) ou “autoridade superior” (nas demais modalidades) no mesmo caso em que ele for o pregoeiro, uma vez que existirá flagrante conflito de atribuições.

A princípio, o pregoeiro exerce a função de julgamento da licitação. Esta decisão estará sujeita ao “recurso hierárquico”. O julgamento proferido pelo pregoeiro (no recurso) será encaminhado à autoridade competente (ou autoridade hierarquicamente superior ao pregoeiro) para o juízo de revisão, conforme art. 109, § 4º, da Lei 8.666/93:

§ 4o O recurso será dirigido à autoridade superior, por intermédio da que praticou o ato recorrido, a qual poderá reconsiderar sua decisão, no prazo de 5 (cinco) dias úteis, ou, nesse mesmo prazo, fazê-lo subir, devidamente informado, devendo, neste caso, a decisão ser proferida dentro do prazo de 5 (cinco) dias úteis, contado do recebimento do recurso, sob pena de responsabilidade.

Dessa forma, não teria sentido o pregoeiro julgar um recurso e ele mesmo exercer o juízo de revisão hierárquica (retificação ou ratificação do ato) conferido à autoridade competente, na medida em que o mesmo gestor (pregoeiro e chefe de finanças) exerceria a função de julgamento de duas instâncias diferentes, o que é totalmente descabido.

Da mesma forma, não seria lógico a mesma pessoa exercer o julgamento (pregoeiro) e homologação da licitação (autoridade competente).

Publicado em 07 de março de 2019

(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta

Related posts
EditalQuestões sobre Licitações

Empresa Recém criada – Sem atestado

No edital pedi atestado de capacidade técnica, como um dos requisitos para habilitação, no…
Read more
Questões sobre LicitaçõesRegistro de Preço

Revisão de Preços Registrados

Os valores registrados em ata de registro de preços podem sofrer alteração?  Na prática é…
Read more
Dispensa e InexigibilidadeQuestões sobre Licitações

Limite da Dispensa de Licitação

Quantos COTEP posso fazer por ano? O que preciso observar na hora de fazer o COTEP, posso fazer…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *