Notícias

Vice-prefeito de Rio Pardo é denunciado por compras sem licitação em empresas da família

Ministério Público quer a devolução de R$ 99 mil aos cofres públicos. Reinaldo Milan disse ao G1 que seguiu procedimento da prefeitura.

O Ministério Público entrou com uma ação contra o vice-prefeito de São José do Rio Pardo (SP), Reinaldo Milan (PSL). De acordo com a promotoria, ele fez compras para a prefeitura sem licitação em empresas de familiares. A promotoria pede que o valor gasto de R$ 99.012,07 seja ressarcido aos cofres públicos e pediu a indisponibilidade dos bens do vice-prefeito até que o caso seja julgado.

Segundo denúncia do MP, a prefeitura adquiriu diretamente diversos produtos de empresas comerciais de propriedade do cunhado e da esposa do vice-prefeito com dispensa de licitação, nos anos de em 2017 e 2018.

Milan disse ao G1 que seguiu o procedimento da prefeitura nos períodos que assumiu a Secretaria de Gestão e autorizou as requisições que eram apresentadas por diversos setores da prefeitura.

“Não foi assinado a requisição da empresa do meu cunhado, todas as empresas que a prefeitura comprava passava pela [secretaria de] Gestão para finalizar o pedido, já com cotação, com tudo. É de praxe. Esse é o ritual da prefeitura”, afirmou.

Sem licitação

Em documentos obtidos pela promotoria é o vice-prefeito que assina as requisições para compras de materiais que incluem botas de segurança, fio de nylon, enxada, corda, mangueira, torneira, lona, prego, corrente, cadeado, herbicida, parafusos, porcas, ração e medicamentos para o canil municipal.

Ao Ministério Público, a prefeitura informou que a aquisição foi feita de forma direta, sem licitação, por não ultrapassar o valor legal para este tipo de compra e que a empresa tinha o produto a pronta entrega e que era caso de urgência. Disse ainda que orçamentos foram solicitados a outros comércios que não retornaram o contato.

De acordo com o MP, porém, a maioria dos produtos foi adquirida de forma rotineira e, em muitos casos, era de necessidade contínua e previsível, de modo que não poderia incidir a dispensa de licitação. Para a promotoria, o fracionamento das compras é ilegal e foi feito para burlar a necessidade de licitação e as compras configuram nepotismo.

Segundo o vice-prefeito, ele apenas seguiu a forma de atuação das compras da prefeitura. “A prefeitura tem esse ritual, não é só com a empresa do meu cunhado não, é com todas as empresas. A prefeitura compra até o limite de R$ 7 mil por setor: educação, saúde, as autarquias, e nunca foi questionado. Não sou eu quem faço as compras, é o pessoal dos setores. “, disse.

Prefeitura

A Prefeitura de São José do Rio Pardo informou que foi notificada do processo na terça-feira (7) e determinou ao setor responsável um levantamento sobre as questões alegadas na ação. Somente este procedimento, irá se posicionar sobre a adoção de medidas inerentes ao caso.

(Fonte: G1 São Carlos e Araraquara)

 

Related posts
Notícias

Senador alerta que nova licitação da BR-163 pelo Governo Federal vai encarecer pedágio e tornar MT “inviável”

Um estudo elaborado pela consultoria GO Associados alerta para o risco de Mato Grosso se tornar…
Read more
Notícias

STF adia julgamento de decreto sobre governança e licitações em campos da Petrobras

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pediu na tarde desta quarta-feira…
Read more
Notícias

Concessionária que vai assumir rodovias da região de Piracicaba abre vagas de emprego

Nas próximas semanas, há previsão da agência iniciar a divulgação das vagas que serão…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *