Notícias

Vice-prefeito de Rio Pardo é denunciado por compras sem licitação em empresas da família

Ministério Público quer a devolução de R$ 99 mil aos cofres públicos. Reinaldo Milan disse ao G1 que seguiu procedimento da prefeitura.

O Ministério Público entrou com uma ação contra o vice-prefeito de São José do Rio Pardo (SP), Reinaldo Milan (PSL). De acordo com a promotoria, ele fez compras para a prefeitura sem licitação em empresas de familiares. A promotoria pede que o valor gasto de R$ 99.012,07 seja ressarcido aos cofres públicos e pediu a indisponibilidade dos bens do vice-prefeito até que o caso seja julgado.

Segundo denúncia do MP, a prefeitura adquiriu diretamente diversos produtos de empresas comerciais de propriedade do cunhado e da esposa do vice-prefeito com dispensa de licitação, nos anos de em 2017 e 2018.

Milan disse ao G1 que seguiu o procedimento da prefeitura nos períodos que assumiu a Secretaria de Gestão e autorizou as requisições que eram apresentadas por diversos setores da prefeitura.

“Não foi assinado a requisição da empresa do meu cunhado, todas as empresas que a prefeitura comprava passava pela [secretaria de] Gestão para finalizar o pedido, já com cotação, com tudo. É de praxe. Esse é o ritual da prefeitura”, afirmou.

Sem licitação

Em documentos obtidos pela promotoria é o vice-prefeito que assina as requisições para compras de materiais que incluem botas de segurança, fio de nylon, enxada, corda, mangueira, torneira, lona, prego, corrente, cadeado, herbicida, parafusos, porcas, ração e medicamentos para o canil municipal.

Ao Ministério Público, a prefeitura informou que a aquisição foi feita de forma direta, sem licitação, por não ultrapassar o valor legal para este tipo de compra e que a empresa tinha o produto a pronta entrega e que era caso de urgência. Disse ainda que orçamentos foram solicitados a outros comércios que não retornaram o contato.

De acordo com o MP, porém, a maioria dos produtos foi adquirida de forma rotineira e, em muitos casos, era de necessidade contínua e previsível, de modo que não poderia incidir a dispensa de licitação. Para a promotoria, o fracionamento das compras é ilegal e foi feito para burlar a necessidade de licitação e as compras configuram nepotismo.

Segundo o vice-prefeito, ele apenas seguiu a forma de atuação das compras da prefeitura. “A prefeitura tem esse ritual, não é só com a empresa do meu cunhado não, é com todas as empresas. A prefeitura compra até o limite de R$ 7 mil por setor: educação, saúde, as autarquias, e nunca foi questionado. Não sou eu quem faço as compras, é o pessoal dos setores. “, disse.

Prefeitura

A Prefeitura de São José do Rio Pardo informou que foi notificada do processo na terça-feira (7) e determinou ao setor responsável um levantamento sobre as questões alegadas na ação. Somente este procedimento, irá se posicionar sobre a adoção de medidas inerentes ao caso.

(Fonte: G1 São Carlos e Araraquara)

 

Related posts
Notícias

Pais de alunos das escolas municipais de SP terão que usar aplicativo para comprar uniformes

App terá crédito fornecido pela Prefeitura de SP após cancelamento de licitação. Famílias…
Read more
Notícias

Agesul lança licitação para reformar ponte de madeira sobre o Rio Aquidauana

Ponte faz divisa entre municípios de Terenos e Aquidauana A ponte de madeira sobre o Rio Aquidauana…
Read more
Notícias

Licitação de conclusão do forro do Aquário é suspensa para análise de documentos

Esta é a segunda tentativa de contratação de empresa para concluir forro do Aquário, em serviço…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *