Notícias

Polícia Civil faz operação contra corrupção e fraude à licitação em unidades de saúde de Cascavel

Ação ocorre nesta segunda-feira (1º); policiais cumpriram mandados de busca e apreensão; um homem foi preso por posse ilegal de arma, durante a ação.

A Polícia Civil deflagrou uma operação, nesta segunda-feira (1º), contra corrupção e fraude à licitação para melhorias em unidades de saúde de Cascavel, no oeste do Paraná.

Cerca de dez policiais civis cumpriram três mandados de busca e apreensão. Os policiais apreenderam computadores, celulares e documentos.

O material que for apreendido pode ajudar na investigação do caso e na produção de provas, conforme a Polícia Civil.

A polícia informou que, durante o cumprimento dos mandados, um servidor municipal foi preso em flagrante, por posse ilegal de uma arma, que foi apreendida.

As investigações
Segundo a Polícia Civil, a empresa escolhida na concorrência foi contratada por aproximadamente R$ 1,4 milhão.

Essa empresa deveria realizar serviços comuns de manutenção, reparos, adequações e melhorias nas unidades e serviços de saúde do município.

Durante as investigações, a Polícia Civil verificou uma possível relação de corrupção entre os proprietários da empresa e o agente público fiscal do contrato. Ele é, de acordo com a Polícia Civil, um servidor contratado em cargo comissionado e que recebeu vantagens indevidas.

O servidor público era o responsável por atestar o serviço e assinar as notas fiscais para pagamento, conforme informou a Polícia Civil.

Outras licitações
As investigações da Polícia Civil apontaram que essa empresa foi vencedora de outras licitações.

Desde 2018, de acordo com a Polícia Civil, recebeu mais de R$ 4,3 milhões. Esse dado está no Portal da Transparência de Cascavel.

A Polícia Civil também apura os outros contratos.

Ainda segundo a Polícia Civil, há indícios de que a empresa participava das licitações apresentando preços abaixo das concorrentes.

O que diz o município
A Prefeitura de Cascavel informou que demitiu o servidor investigado pela Polícia Civil e que está solicitando informações ao órgão policial para verificar se há outros servidores em investigação.

A administração disse também que pediu ao procurador-geral do município para que apure as informações possíveis para, se necessário, efetuar novas demissões e afastamentos.

O município ressaltou que não foi alvo de diligências na ação desta segunda-feira, e que vem, desde fevereiro, encaminhando todas as informações e documentos solicitados à Polícia Civil, “contribuindo de forma produtiva à elucidação dos fatos”.

(Fonte: G1 – Oeste e Sudoeste)

Related posts
Notícias

Após alerta do TCE-PR, Palotina revoga licitação de R$ 2,5 milhões para EPIs

Compra era referente a equipamentos de proteção individual de servidores desse munício do Oeste…
Read more
Notícias

Justiça obriga Prefeitura de Blumenau a fazer licitação para concessão de serviços funerários

Município precisará acabar com sistema de rodízio no atendimento funerário na cidade A Quinta…
Read more
Notícias

PMDF abre licitação internacional para compra de pistola 9 mm

Propostas serão recebidas até o dia 1º de setembro A Polícia Militar (PMDF) abriu, nesta…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *