Notícias

Hélio é condenado por contrato de R$ 4 milhões sem licitação

A sentença determinava três anos de prisão e multa, mas o juiz converteu a prisão em serviços assistenciais e multa de cinco salários mínimos

A Justiça condenou o ex-prefeito de Campinas, Hélio de Oliveira Santos, e também os ex-secretários de finanças, Paulo Malmman, de Assuntos Jurídicos, Antônio Caria Neto e, o ex-diretor administrativo financeiro, Paulo Roberto Cardoso. Eles são investigados pela contratação do Instituto Cidad, em 2011 sem fazer licitação.

A sentença determinava três anos de prisão e multa, mas o juiz converteu a prisão em serviços assistenciais e multa de cinco salários mínimos para cada um.

Os condenados são investigados por irregularidades na contratação do instituto, pelo valor de R$ 4 milhões. O acordo era para fazer pesquisa e treinamento. O contrato foi feito sem licitação, segundo denúncia do Ministério Público. A duração do acordo entre as partes era de 12 meses. A informação é que logo que o convênio foi denunciado, ele foi desfeito em 2011.

A decisão é em 1ª Instância e cabe recurso.

A defesa do ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos, disse que todos os recursos cabíveis estão sendo feitos para anular a sentença.

O advogado do ex-secretario de assuntos jurídicos, disse que vai entrar com recurso e considera que a contratação do convênio não trouxe prejuízo e por isso não tem porque a aplicação dessa pena.

A reportagem não conseguiu falar com a defesa do ex-diretor administrativo financeiro, Paulo Roberto Cardoso. Quando isso ocorrer, a matéria será atualizada.

(Fonte: A Cidade On)

Related posts
Notícias

Prefeitura acata recomendação e revoga licitação da Expomang 2019

O Poder Executivo de Mangueirinha acatou recomendação administrativa expedida pelo Ministério…
Read more
Notícias

MPMS nega recurso em licitação para revestir paredes e suspende instalação de gradil

Empresa JM Comércio, Construção e Serviços venceu processo de licitação feito pelo MPMS O MPMS…
Read more
Notícias

Liminar suspende multa aplicada a uma empresa de Goiânia que desistiu de licitação após sofrer interdição da Vigilância Sanitária

Uma distribuidora de produtos hospitalares de Goiânia conseguiu na Justiça liminar para suspender…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *