Notícias

Carlinhos assina contrato e São José vai gerar energia do lixo


Aterro Sanitário vai produzir energia por meio de biogás

O esgotamento do Aterro Sanitário em São José dos Campos tem sido tema de discussão entre ambientalistas, especialistas e acadêmicos que procuram saídas para o lixo. Com a previsão de que o aterro da cidade teria apenas mais seis anos de vida útil, a Prefeitura de São José dos Campos e a Urbam anunciaram na tarde desta segunda-feira (27) duas importantes medidas: a geração de energia por meio do biogás e a ampliação do aterro sanitário.

Em uma cerimônia até modesta, devido a importância ambiental do tema, realizada na agora reformada Residência Olivo Gomes, no Parque da Cidade, o prefeito Carlinhos Almeida e o diretor-presidente da Urbam, Boanesio Ribeiro assinaram a autorização para geração de energia por meio do biogás do Aterro Sanitário. Chamou a atenção a pequena audiência presente, reforçada por alunos da Escola Vera Lúcia Carnevalli, e a ausência de ambientalistas ou membros do Conselho Municipal de Meio Ambiente.

Em seu discurso o prefeito Carlinhos Almeida dirigiu-se às crianças e explicou a importância da geração de energia gerada a partir do biogás para os alunos, que acompanharam a assinatura do contrato. “Estamos tratando do nosso futuro e buscamos soluções para que 100% do lixo que produzimos possa ser transformado sem a necessidade de ir para o aterro sanitário”.

Biogás

Atualmente, a Central de Tratamento do Aterro Sanitário realiza a captação, queima e eliminação de todo gás gerado pela decomposição do lixo. Com o novo serviço, o sistema passará a gerar energia a partir do biogás. O sistema é bem diferente de uma termelétrica (que usa a queima dos resíduos sólidos para gerar energia).
A partir da assinatura da ordem de serviço, a KR Energia Ltda – empresa vencedora da licitação – terá um prazo de 14 meses para começar a gerar energia. Ela irá implantar, operar e comercializar a energia gerada.
No aterro sanitário são depositadas uma média de 650 toneladas por dia de resíduos. O projeto de São José dos Campos será o sétimo de geração de energia a partir do biogás de aterro no Brasil.

O sistema vai gerar 3,12 MW de potência. O diretor-presidente da Urbam, Boanesio Ribeiro, explicou que além de valorizar um recurso que não está sendo atualmente aproveitado, o projeto contribuirá para a redução das emissões de gases de efeito de estufa, e gerará energia renovável suficiente para o consumo de 25 mil habitantes – o equivalente a 9 mil residências.

A geração de energia a partir do biogás do Aterro da Urbam será também registrada junto aos órgãos técnicos da ONU, havendo a possibilidade de emissão de créditos de carbono pelo metano coletado e destruído bem como pela energia renovável produzida.

Ampliação do aterro sanitário

O diretor presidente da Urbam também informou sobre a ampliação do aterro sanitário de São José dos Campos. “Conseguimos fazer um bom projeto e a Cetesb emitiu parecer técnico com as diretrizes para o licenciamento da ampliação do nosso aterro”, esclareceu. O aterro possui vida útil de 5,5 anos e, com a ampliação, poderá ter mais 5,5 anos de vida útil.

(Fonte: Meon)

Related posts
Notícias

Licitação para contratação da empresa que vai gerir o serviço de guincho é adiada

Empresas desclassificadas entraram com recurso; abertura dos envelopes só deve acontecer após os…
Read more
Notícias

Prefeito em exercício de Guaramirim autoriza licitação para pavimentar rua do município

O prefeito em exercício de Guaramirim, Osvaldo Devigili (DEM), assinou no fim da manhã desta…
Read more
Notícias

Ex-prefeito de Planaltina é preso por contratar empresas sem licitação

Ao todo, foram expedidos oito mandados de prisão e dez de busca e apreensão O ex-prefeito de…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *