Artigos

As empresas que participam de processo licitatório podem sofrer penalidade de multa pelo simples fato de terem sido inabilitadas ou desclassificadas durante a fase de julgamento?

Recentemente o Escritório ARIOSTO MILA PEIXOTO Advogados Associados submeteu à apreciação do Poder Judiciário de São Paulo, uma questão controversa: as empresas que participam de processo licitatório podem sofrer penalidade de multa pelo simples fato de terem sido inabilitadas ou desclassificadas durante a fase de julgamento?

Pois bem, isso aconteceu! A Prefeitura de São Paulo aplicou multa de mais de R$ 1,2 milhão com lastro na decisão do pregoeiro que inabilitou um licitante com fundamento no descumprimento da exigência de qualificação técnica. Decidiu o pregoeiro que é aplicável a sanção de multa ao licitante que apresentou atestado de capacidade técnica insuficiente à totalidade dos lotes para os quais a empresa apresentou proposta. Mesmo sendo vencedora de um dos lotes, a inabilitação para os demais lotes motivou a pena de multa equivalente a 10% do valor de sua proposta.

Irresignada, a empresa apenada impetrou Mandado de Segurança, obtendo, ainda em caráter provisório, a concessão da liminar que suspendeu a exigibilidade da multa. Veja o fundamento utilizado por S.Exa., o Magistrado Emílio Migliano Neto:

“(…) concedo a liminar para determinar a suspensão da exigibilidade da multa, até ulterior deliberação judicial.Com efeito, a imposição de penalidade de multa de mais de um milhão de reais está em desacordo com os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade. Ademais, não se vislumbra qualquer prejuízo à administração pública pelo fato de ter sido inabilitada para o certame”.

A matéria ainda será apreciada em fase exauriente.

______________________________________________________________________________

Publicado em 14 de fevereiro de 2020.

(Colaborou Dr. Ariosto Mila Peixoto, advogado especializado em licitações e contratos administrativos, no escritório AMP Advogados).

*Alguns esclarecimentos foram prestados durante a vigência de determinada legislação e podem tornar-se defasados, em virtude de nova legislação que venha a modificar a anterior, utilizada como fundamento da consulta

Related posts
Artigos

Participação de empresas em Recuperação Judicial em licitações.

O Tribunal de Contas da União, em decisão recente, publicou o Acórdão nº 1201/2020 &#8211…
Read more
Artigos

COVID-19 e a redução dos contratos administrativos

Não há dúvida que a situação de absoluta imprevisibilidade decorrente da COVID-19 causou um…
Read more
ArtigosNotícias

O FIM DA ERA DOS PREGÕES PRESENCIAIS?

O isolamento social acelerou o avanço do pregão eletrônico para muitos órgãos que nunca tinham…
Read more

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *